27 maio 2010

porque é como se regressasse da fonte.
e o cântaro caísse.

a par disso existe o movimento em que te inclinas para me sacudir o vestido.

(assim eu soubesse assim mais cântaros teria partido)

3 comentários:

hugo disse...

apareceu-me um rapaz. meu pai tanto me chateou, até que um dia irritada, cheguei a casa despejei o cântaro da água e fui para a ponte. lá encontrei a irmã do tal rapaz e pedi-lhe que ela lhe fosse dizer para ele se apresentar o quanto antes em minha casa. fui para casa e ele, pouco tempo depois, apareceu lá. deu a salvação ao meu pai e fez o pedido. o meu pai aceitou o namoro. eu não abri a boca. depois do pedido o meu pai disse-lhe que não o queria lá em casa quando eu lá estivesse sozinha e que nem experimentasse ir ter comigo a alguma fazenda. para além destas recomendações, mandou-nos ir arranjar os papéis para o casamento. assim foi. passado um mês casamo-nos.

cito a tia barata, que me ensinou o que é um almude.

madrugada disse...

muito giro de se ler.

sandra andrade disse...

hugo hhehehehe

tantas vezes vai o cântaro à fonte até que se parte :P

também estou a citar 1 tia. que me ensinou a nau catrineta :)