23 outubro 2009

para o parolo do Saramago e para os parolos que se ofendem com o Saramago.

pronto. estou farta.
jurei nunca fazer isto. mas já quebrei tantas promessas esta semana. que aqui vai mais 1.

aqui está 1 excerto do livro que estou a escrever há mais de 3 anos. e se chama diários de caim.
(fuck!)
sou 1 pentelha literária piquena e tenho medo. mas já não posso com esta Caim Pride que anda para aí. enjoy. or not.

#45

o pomar anacrónico continua na mesma. mas agora sirvo-me dele todas as manhãs. trago sempre 1 tripé e 1 câmara de filmar. tenho tudo registado. escolho 1 árvore e deixo-me despir por estas mulheres-fruto. deixo-me ancorar nas suas mãos. eu no fundo sou 1 bom rapaz. fazem amor comigo. do tipo sereia com marinheiro. li 1 livro 1 vez. era assim. fico quase translúcido. e assaltam-me receios de carabinadas de hordas de caçadores. manadas de touros espanhóis. impérios romanos. e eu com 1 target na cabeça. luzinhas de snipers em vez de setas. mártir. sou 1 bom rapaz no fundo. eu sou o critério de excessive love of others do Dante. por exemplo. eu casava estas árvores todas de branco. por exemplo. rego-as e fecundo-as sem descurar nenhuma. por exemplo. eu só quero que estas mulheres me desteçam os vermelhos morais. que me reguem. também. que me cubram de terra com a boca. coberto de terra por boquinhas fêmeas. e depois que me reguem. todos os dias. pela sombra. e que não usem pesticidas. e que tirem 1 fotografia quando eu transmutar. terra fora. virgem de todos os elementos aéreos. bem fincado no chão. pernas como troncos. pés de húmus e ciclo da vida. quero que me passem as mãos medievais pelo sexo e me sacudam no ar como a uma camisa branca muito bem lavada na margem do rio. fico assim exposto. todas as manhãs. mas o que fica registado nos vídeos não é isto. é só 1 homem possante a trepar às arvores com o vigor do cio. a fazer movimentos de vai-vem nos ramos. nos troncos. a regar as mulheres com leite. aos gritos e aos saltos pelo pomar. a beber água no poço. a fumar 1 cigarro. a fumar 1 pouco mais lentamente que o normal. a adormecer com lábios saciados. a boca semi-aberta. o que fica registado parece 1 ritual que não seja bom. não sei muito bem o quê. mas eu e as minhas mulheres anacrónicas sabemos que não é assim. a realidade não está bem naqueles vídeos. que quase parecem hard. parecem mesmo hard. quem vir é provável que diga que são hard. mas não. as mulheres-fruto são do mais virgem que se possa encontrar. são anteriores ao vídeo. não fornicaram nem 1 nem 2 irmãos Lumière.
diários de caim. #45

4 comentários:

MADRUGADA... disse...

nem que leves mais três anos para acabar de escrever isso. eu quero ler. eu quero ler.

o excerto que li, está de orelha ;)

sandra andrade disse...

:)

*

tnks

pedroludgero disse...

o cabo também ficou curioso!

sandra andrade disse...

:)