28 setembro 2009

literatura de excel

























eu amo sempre em processo alquímico

até que me cresça a tua barba



(deitados no campo de mão dada


tu ficaste igual


eu dei frutos de ti e da terra)

4 comentários:

MADRUGADA... disse...

aqui começo-me a habituar a coisas que me arrepiam os pelos (não os da barba).

está bom. está muito bom ;)

sandra andrade disse...

:)

natacha disse...

adorei. simplesmente.

sandra andrade disse...

:)