06 agosto 2008

a partir de hoje não faço mais reciclagem

ontem quando estava a juntar embalagens pensei ainda estou com trabalho a mandar dinheiro de volta às grandes empresas que produzem esta lixeira!
e depois o rogério fala-me disto também.

estas 2 coisas num só dia só podem dar numa coisa: a partir de hoje não faço mais reciclagem. porque eu quero que as grandes empresas que produzem o lixo que eu reciclo para elas ganharem mais dinheiro e continuarem a produzir mais lixo se fodam.

e o ambiente não existe. e o mundo não vai acabar. e se acabar acabou. e roubando a expressão ao rogério: isso também é maravilhoso.

4 comentários:

diz q disse disse...

Muito bem, estou de pleno acordo.
Eles querem é ter um "funcionário" em cada casa, de maneira a que o trabalhinho da reciclagem seja feito e assim poderem ganhar mais uns trocos e, como sempre à custa de quem??
Bjs

Rogério Nuno Costa disse...

eu continuo a reciclar, mas é porque adoro o sistema de separação do lixo, como adoro o sistema de organização de mensagens do gmail e também o sistema de organização de espaços do hugo, e também o sistema de pagamentos por multibanco da edp...

sou uma cabra conceptual da teoria dos sistemas.

nada a fazer.

mas muito a pensar. não fui eu que disse, foi a catarina campino, mas roubo-a vezes sem conta: quem inventou as preocupações ambientais foram as pessoas que poluem, que é para um bando de ignorantes sem causa manterem o mundo limpo por mais algumas décadas para eles continuarem a poluir.

cheers!

sandra andrade disse...

eu ganhei algum espaço cá em casa. ficaram as coisas dos gatos nas prateleiras das embalagens. estão lá tão bem. pois isto já não é assunto novo. melhor que isto é deixar de votar. nem branco nem preto nem amarelo. deixar de votar hihi
eu já não voto há muuuuuito tempo

eva.malainho disse...

pois bem. eu cá acho que o mundo vai acabar. mas não é que isso me preocupe assim muito muito. e também não é que isso me preocupe assim assim. acho que não me preocupa. mas acabamentos à parte, continuarei a separar os detritos. e também a tentar convencer a minha avó a pôr no quintal um compostor.